Campanha de financiamento coletivo “O mal-estar do dominante”, primeira quinzena: 27%.

Olá compas!

Completamos a segunda semana da campanha de financiamento coletivo do livro “O mal-estar do dominante” (https://www.catarse.me/omalestardodominante) com 27% da meta de arrecadação. Isso dá muita força para seguirmos acreditando no poder transformador da palavra escrita e distribuída de forma impressa. Estamos radiantes com o resultado e queremos que você de alguma forma possa contribuir conosco, com a autora e com grupos, comunidades, movimentos e singularidades que serão contempladas com o sucesso dessa campanha quando ela se efetivar.

Pedimos para que se você puder ajudar com qualquer valor a partir de 10 reais ou indicar essa campanha para pessoas que tenham interesse nessa temática, para conhecer um “ensaio enquanto tese”, ou para minas, manos e monas que realizam pesquisas e discussões sobre as questões de gênero, dominação masculina e suas formas de opressão, para conhecerem o projeto do livro e divulgar para outras pessoas. Para que mais gente possa ter contato com essa proposta, independentemente da possibilidade imediata de apoio e suporte financeiro na campanha (que evidentemente será muito bem-vindo).

Então chegamos nessa primeira quinzena agradecendo os 27%, são 821 reais, sabemos que em termos de mercado editorial brasileiro, nossa meta de 3.000 reais é um valor bem baixo, mas sabemos também que há muito amor, muito senso de colaboração e muita entrega nesse projeto desde a sua criação, quando a autora teve que lidar com a dor e a frustração de não ter o seu ensaio reconhecido pela academia e teve que mudar substancialmente o projeto de sua tese. Mas o ensaio seguiu, a vontade também e muitas pessoas já contribuíram realizando tarefas de revisão, criação da ilustração de capa, diagramação e ainda vem mais a impressão, montagem artesanal e distribuição. Tudo isso sem qualquer valor financeiro envolvido, simplesmente por acreditar na ideia do livro e no poder transformador que a leitura emerge ao mundo.

Em momentos tão difíceis de nossa sociedade, onde o preconceito, o patriarcado, a falta de amor e empatia causam estragos praticamente irreversíveis nas relações entre as pessoas, esse livro traz unidade, senso de cooperação e amor por tudo que acreditamos e por tudo que fazemos para combater as pequenas e grandes opressões cotidianas.

Obrigado por seu apoio e divulgação.

abobrinha e vertov rox.
editores
Editora Monstro dos Mares

https://www.catarse.me/omalestardodominante

Colabore com a campanha de financiamento coletivo do livro “O mal-estar do dominante” de Cássia Rodrigues Gonçalves

Fortaleça!

A Editora Monstro dos Mares, de Ponta Grossa – PR, está com uma nova campanha de financiamento coletivo no ar. Desta vez o objetivo é arrecadar fundos para o lançamento do livro O mal-estar do dominante, de Cássia Rodrigues Gonçalves.

O livro é um ensaio gerado a partir de sua tese de doutorado. O resultado é uma leitura em primeira pessoa e liberada das tradicionais amarras acadêmicas. A força de sua escrita desacomoda conceitos naturalizados pela normatividade e pelo senso-comum.

“Já se perguntou por que os homens, brancos, cis e hétero tem tanta dificuldade em sentir empatia? Por que os dominantes estão resistindo tanto às mudanças sociais? Por que as figuras públicas que são caricaturas do conservadorismo e do status quo estão tendo tanta repercussão? Eu também já. E fiz minha tese de doutorado pensando sobre essas questões. A tese foi reescrita e virou um ensaio que discute tudo isso.”

Càssia

O livro tem 118 páginas, apresentação do Adail Sobral, ilustração da capa de Janaína Wayne Herbstrith, revisão de Giuliana dos Santos Bruni e Claudia Mayer, diagramação e impressão de Vertov Rox., montagem e acabamento por abobrinha. Você pode escolher a edição simples, com papel color plus 180g amarelo Rio de Janeiro na capa e miolo em papel offset branco de 75g ou a edição com papel Kraft 200g e miolo em papel Reciclato 75g.

Sua contribuição a partir de 10 reais é super bem-vinda e a partir de 15 reais você já pode receber recompensas em casa ou enviar de presente para alguém.

Nosso objetivo é arrecadar cerca de 3.000 reais até Junho para que os livros sejam produzidos artesanalmente e entregues aos correios no início do mês de Julho. Com sua ajuda pode ser até mesmo antes :)

Confira a campanha no Catarse e se puder compartilhe com suas amizades. https://www.catarse.me/omalestardodominante

Valeuzão!

[Vídeo] Rolê pela Editora Monstro dos Mares e agradecimentos do mês de Março

Olá compas!

No ano de 2019 nós decidimos criar vídeos apresentando alguns processos que a Editora Monstro dos Mares utiliza para fazer livros desde os primeiros passos. O vídeo de hoje é um rolê mostrando o computador, impressora, guilhotina, grampeador, capas e armazenamento.

No vídeo com um pouco mais de 5 minutos também é apresentado o equipamento conquistado com o apoio da ferramenta solidária de financiamento recorrente e coletivo, o Catarse. As pessoas realizam pequenas contribuições mensais a partir de R$5 e recebem (se quiserem) algumas recompensas por isso.

Neste mês de Março serão enviadas recompensas que trocamos com as as amizades da Imprensa Marginal Editora Anarcopunk e Distro que recebemos em nossa caixa postal.

Conheça a editora por dentro.

Nossos agradecimentos aos apoios de:

  • Lucas Soares
  • Claudia Mayer
  • Willian Aust
  • José Vandério Cirqueira
  • Manu Quadros
  • Paulo Oliveira
  • Daniela de Souza Pritsch
  • Fábio Rocha
  • Eduardo Salazar Miranda da Conceição Mattos
  • Guapo Magon
  • Apoiadoras e apoiadores anônimos

Agradecemos imensamente o apoio e o carinho das pessoas em nossa atividade. Acreditamos que livros contém em suas páginas todos os espectros de experiências capazes de transformar a humanidade.

http://catarse.me/monstromensal

Instituto DataMonstro informa: Em Fevereiro chegamos a 150.000 impressões

ÊITA!

Ironizando o economiquês:

Conforme o último relatório do Instituto DataMonstro divulgado com os números do mês de Fevereiro, a Monstro dos Mares, pequena editora de divulgação acadêmica e anárquica do interior do Paraná, realizou 151.862 impressões, sendo 18.854 somente neste período. É importante salientar que não é possível realizar a distinção entre livros e zines no formato A5 ou A6, por isso foram calculados somente as impressões A4, indiferentemente se do tipo “frente e verso” ou somente em um lado da folha.

Conversamos com um dos editores sobre o relatório:

Nosso objetivo com esse levantamento é compreender o quanto somos pessoas dedicadas em fazer livros/zines, divulgar a cultura libertária e as epistemologias dissidentes com uma quantidade de materiais distribuídos gratuitamente para manos, minas e monas que fortalecem a anarquia e o anarquismo. Neste mês de Fevereiro por exemplo, nós recebemos a visita das amizades da Editora Subta e com isso foi possível enviar muitos livros para distribuição sem nenhum custo. Também enviamos materiais para alguns espaços e bibliotecas comunitárias através dos correios. Fazer livros é só felicidade!

Editor V.

Conforme apuração, nos próximos meses a editora artesanal pretende ampliar o estoque de materiais para participar de mais eventos ou enviar as caixas para singularidades e coletivos que, segundo o editor V., “fazem a mão” em festivais e congressos.

/fim da ironia

Vamos aos números:

  • Total de impressões: 151.862
  • Impressões em Fevereiro: 18.854
  • Livros impressos: 151
  • Livros doados / distribuição gratuita: 121
  • Zines impressos: 608
  • Zines doados / distribuição gratuita: 85

Mensalmente pessoas de diversas partes do país contribuem pública e anonimamente para que possamos manter nosso endereço de domínio no site da loja, manter ativa nossa caixa postal, realizar manutenção nas guilhotinas, comprar papel e tinta que são utilizadas na impressão dos materiais distribuídos gratuitamente, envio através dos Correios para singularidades e coletivos. Bem como, a aquisição de novos equipamentos e melhoria das condições de nosso pequeno, mas valoroso espaço. Valeu mesmo! Obrigado por somar à nossa Rede de Apoio.

Mudanças nos valores e serviços dos Correios em Março

O carteiro é nosso amigo, mexeu com ele mexeu comigo!

Nesta Segunda-feira, dia 25 de Fevereiro recebemos a informação da atendente dos correios que em Março haverá um novo aumento nos valores (se você recorda em 2018 subiu 43%) e também uma provável unificação dos registros (Carta, Carta Urgente, Registro Módico e Registro Urgente), transformando todas as etiquetas de registro em uma só iniciada com as letras JN, diferentemente das tradicionais RE e JT.

O serviço de registro módico para Impressos, utilizados por livreiros, editoras e fanzineiros para envios econômicos vem sofrendo modificações constantes. Em 2016 o limite de 21kg foi alterado para 2kg. O que restringiu (e muito) a divulgação científica, a distribuição de livros e o intercâmbio de materiais impressos. Já faz algum tempo, os ajustes de preço eram anunciados no blog dos correios com certa antecedência e desde 2017 essa prática foi descontinuada. Foi informado no dia 02 de Fevereiro, que os preços seriam reajustados no dia 05 do mesmo mês naquele ano. Fato que lamentamos profundamente, uma vez que os serviços serão reajustados em poucos dias e não temos direito a essa informação.

Esperamos com sinceridade que a atividade dos Correios continue sendo prestada com eficiência mesmo com a transparente política de desmonte e “competitividade” nos serviços de encomendas. Temos o compromisso buscar a melhor alternativa para o envio de livros/zines e nos solidarizamos às trabalhadoras e trabalhadores que temem pelo fechamento de diversas agências no país e a privatização da autarquia.

Por um serviço de qualidade, com valor acessível à população e garantias de direitos fundamentais da categoria!

Super Big Fury Ultra Mega Max Grampeador e agradecimentos a Rede de Apoio mês de Fevereiro

No início de Fevereiro chegou nosso novo grampeador KW-Trio modelo 5000 Heavy Duty Long. Ele foi adquirido utilizando recursos que nossas amizades da Rede de Apoio no Catarse que contribuem mensalmente com a Editora Monstro dos Mares e recebem recompensas por isso. Através dessa ajuda, com valores a partir de 5 reais na plataforma de financiamento recorrente nós conseguimos dar manutenção em nossos equipamentos, adquirir materiais e enviar muitos livros e zines de graça para singularidades e coletivos.

Participe da Rede de Apoio, se puder. =)

Em fevereiro realizamos uma grande manutenção em nossa impressora e precisou um novo cabeçote de impressão. Apesar dos custos elevados de manutenção na assistência técnica autorizada da marca, conseguimos realizar a troca de peças em casa assistindo muitos vídeos no youtube.

Queremos agradecer a contribuição de nossas amizades da rede de apoio:

  • Lucas Soares
  • Willian Aust
  • Guapo Magon
  • José Vandério Cirqueira
  • Manu Quadros
  • Gabriela Catunda Peres
  • Rogério Veiga Rodriges
  • Apoiadoras e apoiadores anônimos

Confira o vídeo do super grampeador.

Grampeador KW-trio 5000 Heavy Duty Long

Chegamos em Ponta Grossa!

UEPG

Para as amizades mais próximas e as pessoas que acompanham nosso bonde editorial nas redes corporativas já sacaram que nossas postagens estão saindo como Ponta Grossa / Paraná ali onde a ABIN e a NSA utilizam para localizar geograficamente os ip’s das publicações. Enfim, a Editora Monstro dos Mares chegou à Princesa dos Campos!

Queremos encontrar as amizades dos movimentos sociais e autônomos, trocar ideias, xícaras de chá (pode ser café também) e construir junto com as pessoas em movimento, os bandos, bondes, coletivos, rolês e movimentos uma alternativa dissidente de educação, publicações independentes e formação de militantes e/ou ativistas. Seja através da distribuição de materiais gratuitos, com preços baixos e baixíssimos, publicando artigos de estudantes, educadoras e educadores, pesquisadores, etc.

Também estamos à disposição das amizades para rodas de conversas, debates, oficinas diversas, exposição de livros/zines em eventos. Só chamar!

Nossos números de Janeiro de 2019

Desde que estamos aqui já produzimos muito!

Total de impressões: 133.008
Impressões no mês de Janeiro: 11.367
Livros produzidos: 190
Livros doados: 20
Zines produzidos: 359
Zines doados: 43

Essas pessoas fortaleceram nossa rede de apoio em Janeiro

Em 2018 nós demos início ao projeto de financiamento coletivo das atividades da Editora Monstro dos Mares. Todos os meses uma rede de apoio é formada por pessoas que contribuem com pequenos valores para que nosso bondê editorial possa fazer mais livros de baixo e baixíssimo custo, enviar livros gratuitamente para singularidades e coletivos, realizar a manutenção de nossos equipamentos, viajar levando livros e melhorar um pouquinho o nosso espaço.

Neste mês aportamos na cidade Ponta Grossa no interior do Paraná. Aqui na Princesa dos Campos vamos seguir realizando nossas atividades, colar com os movimentos e fortalecer as lutas. Também como estaremos pertinho de Curitiba, eventualmente vamos levantar as velas e navegar até lá.

Queremos agradecer ao apoio de todas monas, minas e manos que acreditam que o livro barato, acessível e preferencialmente gratuito é uma ferramenta de transformação e que produzir/distribuir material impresso também é uma forma de ação direta.

Fica nosso agradecimento:

  • Daniela de Souza Pritsch
  • Rogerio Veiga Rodrigues
  • Gabriela Catunda Peres
  • Paulo Oliveira
  • Claudia Mayer
  • Manu Quadros
  • Lucas Soares
  • Willian Aust
  • José Vandério Cirqueira
  • Contribuições anônimas.

Conheça nossa Rede de Apoio e se puder participe com qualquer valor ou mesmo divulgando essa iniciativa. -> http://catarse.me/monstromensal

Estamos no Telegram

Existe uma multiplicidade de aplicativos de comunicação ponto a ponto que prometem ser seguros. Segurança antes de qualquer questão é pensar sobre a contingência e necessidade das mensagens trocadas, pois algumas questões não precisam ser ditas numa rede social ou num aplicativo seguro. Sua cultura de segurança é parte da sua proteção. Porém comunicar-se com agilidade é uma condição necessária.

Faz algum tempo adotamos o Telegram como uma alternativa “segura” ao comunicador preferido da maioria. Entendemos que essa não é a ferramenta mais segura do universo. Mas como foi criado um bot de notícias, um grupo (com muitas mensagens diárias) e também um canal de divulgação, optamos por manter esse contato mais genérico. Afinal de contas nós apenas fazemos livros e trocamos fofocas sobre a “anarcolândia”.

Com isso fica o convite para integrar o grupo ou receber os informes do canal:

Feliz 2019, criptografe seus dispositivos!

Livros não são provas de crimes!

O ano de 2019 já começou e 2013 nem mesmo terminou. O estado de vigilância, as perseguições e criminalização das lutas, dos movimentos e das pautas sociais sempre estiveram em funcionamento mesmo antes da aprovação da Lei Antiterrorismo sancionada pela presidenta Dilma. Só que agora a coragem de alguns adquiriu novas configurações e indígenas estão sendo assassinados por bandos desconhecidos (que muitos sabem que são pau-mandados do agronegócio), os direitos sociais da classe trabalhadora recua cada dia mais com a terceirização irrestrita, privatizações, achaque na previdência e outros tantos.

Aqui na Monstro dos Mares nós fazemos livros e desde antes da Operação Érebo já sabíamos que livros não podem ser provas de crimes, mas que estão sendo criminalizados. Entra governo, sai governo, recebemos notícias de que a moradia de militantes sociais, centros de cultura libertária, ocupas, ongs, sede de federações anarquistas estão sendo invadidas, onde curiosamente livros (sim, livros!) e garrafas PET são apreendidos e exibidos para as câmeras de TV como indícios de crimes potenciais numa verdadeira afronta à racionalidade humana.

Mas afinal que tipo de racionalidade esperamos?

Fazemos livros para que mais e mais pessoas possam descobrir por seus próprios meios ou de mãos dadas com monas, minas e manos, que a liberdade não deve ser apenas um direito dado aos ricos, tirando-as de quem mais sofre. Nossos livros contêm palavras daquelas pessoas que lutam por direitos sociais, por igualdade, por reconhecimento das diversidades, pelo direito à terra, pelo acesso à condições dignas de moradia e trabalho. Nossas edições, bem como impressões de editoras e coletivos que consideramos próximas às nossas ideias tratam de perspectivas anárquicas de enfrentamento às opressões, sejam elas onde estiverem: no preconceito racial, na desigualdade social, no binarismo de gênero, determinismo biológico, especismo, do marido/padre/pastor, do patrão, da pátria, da polícia, da política, do mercado e do estado. Não interessa onde estão as opressões, interessa é saber como você vai arregaçar as mangas, esticar os braços e (re)tomar o seu espaço.

Para isso convocamos:

Criptografe seus dispositivos, utilize navegação segura, crie ruídos nas frequências onde você e seus não possam ser escaneados. Encontre-se, discuta, produza, manifeste e celebre, ainda que secretamente, ainda que ninguém possa ver.

Faça de 2019 o início de um novo tempo contra o fim de todas as opressões!

Proteja seus dados: