Mudamos ou Fronteiras, territórios e espaços de práticas para liberdade

Depois de algum tempo se faz necessário aceitar que algumas mudanças são permanentes. Escrevemos nossa história tendo como ponto de partida as próprias trajetórias e não de pontos no mapa, nossas práticas não reconhecem fronteiras, estamos em todas as partes. Mas com muito carinho que reconhecemos nossos territórios, espaços de práticas e as marcas no acento sempre estável em cada pedaço de terra que compartilhamos com as pessoas que são próximas.
Hoje é dia de mudar nossos mapas, atualizar endereços e permanecer um pouco Desterro, um muito Cachoeira, um tanto Porto Alegre… É dar início em nossa temporada nesta cidade sem previsões para partidas, comemorar chegadas e buscar novas práticas.
Saudações União da Vitória, saudações Paraná.
Livros e Anarquia!
[[A]]