Coletivos Anarquistas em Porto Alegre (Clipping)

Logo após os episódios da chamada “Operação Érebo”, que busca criminalizar a anarquia e o anarquismo, recebemos um e-mail de um estudante de jornalismo interessado em realizar entrevista sobre a atuação de nosso coletivo publicador. Obviamente, devido ao momento em que estávamos vivendo, não aceitamos participar de tal entrevista mas respondemos de maneira discreta algumas perguntas do jovem repórter. Segue transcrição:

Olá! Tudo bem?

Meu nome é Daniel e sou estudante de jornalismo da UniRitter. Estamos
 produzindo uma matéria sobre coletivos disruptivos e gostaríamos de
 fazer algumas perguntas para vocês.

Quando e por que surgiu o coletivo??
 Quais são os ideais seguidos??
 Qual a forma de trabalho??
 Qual a relação do coletivo com dinheiro??

Aguardo retorno.

Abraços!

Daniel da Silveira Fagundes
 Telefone: xxxxxx

E de maneira bem desconfiada enviamos nossa resposta bem evasiva, afinal não estávamos interessados em amplas verificações de segurança ou confirmações se o cara era estudante mesmo ou não e todas as luzes da paranoia estavam acesas.

Salve Daniel, em nosso site tem algumas respostas.

https://monstrodosmares.milharal.org/editora/

sobre a questão da relação com o dinheiro, sugiro que você pesquise
 sobre o espanhol "Buenaventura Durruti" ele é a nossa referência sobre
 economia, recursos e formas de capitalização. Nós fazemos mais livros
 com o dinheiro dos livros. É isso.

Abração.

Hoje localizei a matéria publicada no Médium e devo reconhecer que esquivar-se das respostas mais objetivas talvez seja sempre a melhor alternativa para nossos meios. Acompanhe o trecho selecionado da reportagem sobre nosso rolê:

A relação da editora Monstro dos Mares com o dinheiro é influenciada 
pelos pensamentos de um dos maiores símbolos da Anarquia no mundo, 
o espanhol Buenaventura Durruti. Ele participou do assassinato do 
Arcebispo de Salamanca e lutou na Guerra Civil espanhola contra as 
forças do General Franco. Durruti não escreveu livros, nem contribuiu 
diretamente com a Teoria do Anarquismo, mas até hoje é um dos maiores
símbolos do movimento. Sua história rendeu vários livros e até um 
filme chamado “Buenaventura Durruti, anarquista”, de 2000. 
Quando perguntados sobre o que fazem com o dinheiro, a Monstro dos 
Mares responde 
“Nós fazemos mais livros com o dinheiro dos livros. É isso”.

Você pode conferir a matéria completa neste link:

View story at Medium.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*